fbpx

Como criar um bom produto físico

Publicado por CapsExpress em

Quando estamos criando um produto físico as primeiras investigações são a respeito de nosso público e persona, especificamente. Assim como entendemos o que nosso público quer e quais são as dores dele, devemos obrigatoriamente atendê-los naquilo que ele espera e satisfazê-los quando buscando por uma solução nos encontrarem. Isso é um princípio de economia e comércio, a ação humana, é importante de ser entendida e usada como estratégia de vendas. Atender bem o cliente e satisfazê-lo é tão lucrativo como ético, pois ninguém gosta de comprar um produto que não funciona ou não te atende da maneira como estava publicidade.

Um produto que funciona é indicado por seu consumidor a amigos, seguidores e conhecidos. Vamos usar um exemplo: quando alguém que consumiu, que provou, o produto indica ele para mim, a indicação dele tem muita credibilidade e confiança, porque eu sei que ele tomou e que está indicando de livre e espontânea vontade e a causa da vontade dele me indicar é a sua extrema satisfação. Essa satisfação me convida ou até me provoca inveja o que me faz comprar o mesmo produto em busca do mesmo resultado. Concluindo, um cliente bem atendido gera uma cadeia inteira de clientes que irão comprar o produto e isso é muito lucrativo para mim. Por esse motivo é necessário lembrar, mais do que uma fórmula exclusiva, super lançamento, o seu produto tem que funcionar!

Buscando ingredientes funcionais

Para saber quais ingredientes tem ação funcional você deve procurar pela “dor” ou “solução” no modo que quer vender o produto, no nosso caso “suplemento”. Após isso, busque a fonte onde quer procurar a solução. Lembre-se que a maioria dos estudos médicos relevantes e de repercussão estão publicados em inglês, então antes de sair pesquisando traduza isso para o inglês. Por exemplo: realizamos a pesquisa no Google comum “testosterone supplement pubmed”.

Pelos resultados da pesquisa é possível ver estudos médicos relevantes. Se você quiser decidir uma fórmula sozinho(a) lembre-se de ler os artigos médicos por completos, para entender em quais ocasiões cada ingrediente se torna funcional.

Decidindo prioridades

Pelo último assunto que abordamos, você viu que é possível que mais de 1 ingrediente seja funcional para o propósito, então você pode combiná-los de forma a criar um produto mais funcional. Seu produto, inclusive, pode conter mais que 1 benefício para satisfazer seu cliente. Vamos usar um exemplo: você está trabalhando com um produto para cabelo e descobre que um ativo é bom para pigmentação e outro para a fortificação do cabelo, é muito provável que você queira colocar os dois ativos no mesmo produto.

Decidir as prioridades é algo crucial para o seu produto porque quando se acrescenta vários ativos em uma fórmula, a sugestão de uso deve acompanhar, para que a pessoa não consuma quantidades tão pequenas de cada ativo ao ponto de se tornarem disfuncionais.

Então uma das coisas para se observar quando você está formulando um produto é a sugestão de uso. A sugestão de uso não deve ser de muitas cápsulas ao dia, ao mesmo tempo, a tabela nutricional é um fator relevante que o consumidor observa, ela deve suprir os “Valores Diários Recomendados” (VDR) de cada ingrediente ou ser uma quantidade específicamente funcional.

Resumindo, você não deve colocar “mil e um” ativos com poucas quantidades de cada, nem colocar um número grande de cápsulas a ingerir diariamente, 4 cápsulas é o máximo aconselhável, um número maior que esse se torna inclusive desconfortável para quem consome. Na dúvida, pergunte para um especialista.

Ajuda técnica

Sempre que possível e disponível, a ajuda técnica é bem-vinda. Nós devemos lembrar que, para cada conhecimento, existem especialistas. Essas pessoas têm formação ou experiência na área e podem te ajudar bastante. Então se você estiver na dúvida para tomar uma decisão ou formular um produto, não existe razão para você perder tempo se especializando sobre a área quando você pode simplesmente tirar a dúvida com algum especialista e focar no seu negócio.

Algumas empresas têm setores específicos de pesquisa e desenvolvimento de produtos, por vezes, entrar em contato com esse setor não agrega custo nenhum, e trarão um excelente resultado para seu empreendimento.

Sugestão de uso

É importante sempre lembrar da quantidade de cápsulas que devem ser ingeridas diariamente, como citamos anteriormente. No rótulo existe uma observação chamada “sugestão de uso”. Ali o fabricante aconselha ao consumidor como fazer o uso do produto. 

Vamos usar um exemplo de um suplemento alimentar. Eu posso colocar uma sugestão de uso para o meu consumidor apenas definindo o número de cápsulas que ele irá consumir diariamente. Porém, eu também posso acrescentar o período em que ele deve ingerir essas cápsulas e também com qual quantidade de água ele deve ingerir este suplemento. Partindo para a prática, eu posso simplesmente colocar na sugestão de uso “ingerir uma cápsula ao dia”,  mas eu também posso acrescentar maiores informações do tipo “ingerir uma cápsula ao dia antes ou depois das refeições, acompanhado de 250 ml de água”.

Um ponto importante a se lembrar são as recomendações de uso do produto. Esse tópico é diferente das sugestões, pois vão falar de aspectos a manter a qualidade e a validade do produto.  As recomendações de uso e armazenagem são normalmente fornecidas pelo fabricante do produto, por conta do fabricante ter as informações técnicas para as recomendações de uso. 

Você já deve ter visto mas talvez não se lembre. Em muitos produtos existe a recomendação de mantê-los fora do alcance de crianças, ao abrigo de luz e umidade. Alguns produtos especificamente o fabricante determina qual é a temperatura ideal de armazenamento do produto.  Existem também informações mais importantes do que essas, como as contra-indicações, que são os limites do produto. Exemplo: este produto não é recomendado para gestantes e lactantes.

Você também vai encontrar em alguns produtos a frase: o ministério da saúde adverte, este produto não trata ou cura doenças. Essas informações de recomendações de uso são essenciais para o seu produto passar a credibilidade e demonstrar que o fabricante tem a responsabilidade de entregar um produto específico para um público que tenha indicação e a maneira correta de consumi-lo.

Tabela nutricional

A maioria das pessoas não reparam nas informações do rótulo, porém visualizam, em maior parte, a tabela nutricional. Obrigatoriamente, devem constar macro e micronutrientes que tenham valores diários recomendados (VDR).

Quando você entrega ao seu consumidor um produto que atinge os valores diários recomendados, você entrega satisfação ao seu consumidor. Exceto por nutrientes que os consumidores são evitados, por exemplo, pessoas obesas que estão comprando um produto para emagrecimento, jamais vão querer visualizar qualquer valor diário de carboidrato. Tendo em vista que a dieta delas é hipocalórica e buscam reduzir o consumo de carboidratos. Nesses casos os valores diários dos nutrientes são de extrema relevância para o consumidor. Além da quantidade e porcentagem de valor diário.

Você deve saber também, que a tabela nutricional quando em produtos alimentícios ou suplementos alimentares, deve seguir algumas regras estipuladas pela vigilância sanitária nacional.

Apresentação do produto

Apresentação do produto é algo muito importante, tendo em vista que a apresentação também uma forma de comunicação com o seu consumidor. Ela deve agradar a nós como fabricantes ou produtores, assim como se comunicar e atrair o nosso cliente.

Cores

As cores remetem às lembranças e a sentimentos, então é bom lembrar que as lembranças podem vir de acontecimentos ou de coisas que já existem na natureza. Por exemplo, um produto com rótulo de cor verde faz lembrar algo ecológico, florestas, folhas de árvores, etc.

Para cada persona e público-alvo as cores podem ter conclusões diferentes e despertar lembranças e sentimentos diferentes, por isso decidimos as cores do produto quando nós já temos definido o público-alvo e persona.

Breves estudos de neuro vendas são muito bons para isso, assim como também existem técnicos e especialistas em formulação de produtos nutricionais, cosméticos e etc. Também existem pessoas especialistas em design de produto. Algumas empresas disponibilizam de designers internos que costumam fazer produtos semelhantes todos os dias e tem muito experiência em desenvolver produtos do zero. Se você se comunicar com eles de maneira correta e transmitir qual a sua persona, qual o seu público-alvo e qual lembrança ou sentimento você quer remeter ou despertar na sua persona, provavelmente o especialista ou designer irá conseguir fazer uma apresentação de produto que transmita isso para o seu público.

Em caso de dúvida você pode consultar o seu público ou algumas determinadas pessoas na sua audiência para entender qual o sentimento lembrança está despertando naquelas pessoas.

Logo abaixo um gráfico de cores e sentimentos:

Cores, sentimentos, lembranças e impressões

Tamanho, aparência e aspecto

O tamanho, a aparência e o aspecto do produto também se comunicam com o consumidor e não devem ser escolhidos de acordo com o nosso gosto, mas sim do gosto do seu consumidor. Além disso, tamanhos desproporcionais deve ser evitados. Produtos femininos normalmente tem embalagens menores que os produtos masculinos, o que de certa forma, se comunica com nosso público.

Embalagens grandes normalmente passam imagem de abundância, mas “nos menores frascos estão os melhores perfumes”. Então, se torna um ditado popular verdadeiro.

Poucos produtos caros e sofisticados ou remédios extremamente fortes estão em frascos grandes, normalmente os frascos grandes passam essa ideia de voluptuosidade e abundância que dependendo do seu público não é o ideal.

A aparência é um ponto mais difícil a se ter variação pois é dependente da praticidade. Quem não se lembra do produto de limpeza “Pato”? Confira:

A embalagem do produto pode se comunicar de maneira cômica e memorável como o “Pato”, um perfeito exemplo de como um produto pode fixar na memória de alguém simplesmente pela aparência de sua embalagem. 

Pouco tempo atrás trabalhei em um produto que é um estimulante sexual efervescente, que vinha em uma embalagem cilíndrica. Ao descrever o produto, já dá para entender o quão sugestivo a aparência do produto pode ser. Mas lembre-se de uma coisa, por mais atraente que uma ideia seja, fazer um frasco com a sua identidade visual, no plástico, pode custar um alto valor de investimento e um pedido mínimo gigantesco. Não é a toa que a primeira fabricante da embalagem Pato é a multinacional Johnson & Johnson.

Praticidade

A praticidade do uso da embalagem do produto também é um aspecto a contar na embalagem. Um produto pode ser o mais bem apresentado possível, se a embalagem não for prática acabará entrando em desuso, e o desuso não gera recompras. Um exemplo disso pode estar em sua casa quantos produtos você compra e acaba não utilizando pela falta de praticidade. De fato a praticidade é um dos principais aspectos de um produto, por mais que você seja você valor, o faça funcional e de excelente apresentação, a praticidade é o critério que determina a possibilidade do produto se tornar real e de ter sucesso no mercado. 

Uma das coisas que as pessoas não gostam de ouvir mas é uma realidade, é que o tradicional é prático. Isso não é muito legal para quem trabalha com inovação, mas de repente na parte onde tudo está bem, ninguém gostaria de uma atualização ou diferenciação. O tradicional é tradicional porque foi testado no mercado. Se o tipo de embalagem é boa e existe em abundância no mercado provavelmente é porque ela é a prática. 

Gostou do nosso post? Baixe o nosso e-book “Como criar um produto físico”.




0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *